BlogSITE RJP =CIDADEESPERANCA7 - A FOLHA DA REGIÃO - PORTAL ESPERANÇA DO VALLE : Lei seca? Jair Bolsonaro pretende restringir venda de bebida alcoólica

O RJP e o ENA COM VOCÊ NO WHATSAPP 74 9125 1777

AFR/RJP e o ENA COM VOCÊ NO WHATSAPP 74 9125 1777 - LIGUE PRÁ GENTE: 74988011251

Lei seca? Jair Bolsonaro pretende restringir venda de bebida alcoólica

Lei seca? Jair Bolsonaro pretende restringir venda de bebida alcoólica

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, tomará posse no próximo dia 1º de janeiro em Brasília. Entre as muitas mudanças que ele pretende realizar, uma delas caiu como uma bomba para a indústria de entretenimento e de produção de bebidas alcoólicas; saiba mais.

Trata-se da restrição da venda de bebidas alcoólicas. Em entrevista cedida para o jornal O Globo, o futuro ministro da Cidadania, o médico gaúcho e deputado federal, Osmar Terra (MDB-RS), de 68 anos, revelou que, assim como ele, Bolsonaro é favorável a tal medida, o que segundo ele auxiliaria na diminuição da violência em todo país.

Jair Bolsonaro pretende ‘restringir’ venda de bebida alcoólicas

Osmar Terra disse aos repórteres Robson Bonin e Pedro Henrique Gomes, que pretende criar um projeto para limitar o horário de vendas de bebidas alcoólicas. Ele quer a ajuda do futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que a nova lei seja cumprida. “Se reduzir o horário de venda de bebidas alcoólicas em restaurante, em bar, é uma coisa que se pode pensar. Podemos fazer junto com o Moro, na Justiça, uma política de redução da violência”, afirmou.

De acordo com o médico, existem estudos que comprovam que, em lugares onde foi imposto um horário máximo para a venda de bebidas a violência diminui bastante. Ele citou como exemplo a cidade de Diadema, localizada no interior de São Paulo, que proibiu a venda de produtos alcoólicos a partir da meia noite.

Robson afirmou que a cidade era considerada uma das mais violentas do estado de São Paulo, com um alto número de homicídios, que diminuíram consideravelmente depois que a lei foi imposta.

Clique aqui para ver página original

Nenhum comentário:

Postar um comentário